Pesquisadores da Universidade de Miami descobiram que as células do nervo olfatório do nariz, cuja função é transmitir os odores para o cérebro, podem ajudar na recuperação de lesões medulas. Estas descobertas do Miami Project to Cure Paralysis (Universidade de Miami), publicadas em maio no Journal of Neuroscience, é uma nova alternativa ao esforço mundial para desenvolver um método para reverter a lesão medular. A paralisia é irreversível porque as células nervosas no cérebro e medula não se regeneram naturalmente. Em pesquisas com ratos de laboratório, Mary Bartlett Bunge e colegas do Miami Project descobriram que células nervosas olfatórias são capazes de crescer sob a presnça de proteínas que normalmente bloqueiam o crescimento de nervos. As células olfatórias avançam na medula e as fibras nevosas crescem com elas. Os pesquisadores descobiram que fibras nervosa cresceram duas polegadas na medula de ratos. Segundo o D. Wise Young, um dos mas conceituados neurocientistas americanos, essa descoberta é muito interessante pois as células utilizadas nessa pesquisa podem ser encontradas em qualquer cavidade nasal. Afirmou também estar otimista que essa e outras técnicas, associadas ou não, poderão ser utilizadas em experimentos clínicos com humanos em 1999. Os avanços recentes tiveram grande impulso quando em 1990 o Dr. Schwab descobriu que o anticorpo IN-1, utilizado para neutralizar proteínas que impedem a regeneração nervosa, era capaz de promover a regeneração da medula. Desde então, a cada ano o número anual de grandes avanços científicos nessa área aumenta.